banner

| filme 66 | UM SONHO DE LIBERDADE


Ser humano mesmo nas piores condições.

"Ocupe-se de viver ou ocupe-se de morrer"

“Lembre-se, Red, a esperança é uma coisa boa. Talvez a melhor coisa. Tudo o que é bom nunca morre. Espero que encontre esta carta e espero que esteja bem. Seu amigo. Andy."

Condenado a uma pena dupla de prisão perpétua pelo assassinato de sua mulher e do amante dela, o jovem banqueiro Andy Dufrense é enviado em 1946 à penitenciária Shawshank, na Nova Inglaterra. Lá, ele faz amizade com Ellis “Red” Redding, que controla o mercado negro do presídio, onde cumpe pena há 20 anos. Com o tempo, a habilidade de Andy para lidar com finanças abre algumas portas – e fecha outras. Dentro da prisão Andy só tem um sonho: a Liberdade! E é por ela que ele trabalha todos os dias dentro do confinamento.

Acontece que no meio disso tudo ele aprofunda sua relação com Ellis. Exatamente quando a relação de amizade começa é que Um Sonho de Liberdade se torna obra-prima. A sintonia entre Tim Robbins (que vive Andy) e Morgan Freeman (que vive Ellis) é fantástica. Em certo momento, a gente começa a achar que os dois são realmente presidiários que descobrem a amizade verdadeira dentro de uma penitenciária de segurança máxima, no meio de bandidos “de verdade”!

"Algumas vezes fico triste que Andy tenha ido embora. Tenho que me lembrar que alguns pássaros não nasceram para gaiola. Suas penas brilham demais. E quando eles fogem, a parte em você que sabia que prendê-los é pecado, fica feliz. Ainda assim o lugar onde a gente vive fica mais vazio e sem vida sem eles. Acho que estou com saudades do meu amigo"

Desde que assisti o filme pela primeira vez, lá no longínquo ano de 1994, ele se tornou um dos meus preferidos. É uma obra-prima sobre amizade, esperança, fé, perseverança e algo como manter o caráter em lugares e situações penosas. O filme foi indicado para inúmeras categorias do Oscar. Não ganhou porque era o ano de Forrest Gump. Mas, sem dúvida, é um filme muito menos datado do que o próprio Forrest. A linguagem que une os dois protagonistas é universal e inteligível por todo ser humano que já teve sua vida revirada por um acontecimento e precisou se reerguer no lugar mais insólito possível, descobrindo um sentimento verdadeiro quase como um milagre.

[Responsável pela condicional] "Ellis Boyd Redding. Sua ficha diz que já cumpriu 40 anos da prisão perpétua. Está regenerado?"
[Red] "Regenerado? Bem, vamos ver. Não tenho a mínima ideia do que seja isso" [Responsável pela condicional] Significa que está pronto para se reintegrar à sociedade... [Red] "Sei o que acha que significa, filho. Para mim é uma palavra inventada. Uma palavra dos políticos para que jovens como você possam vestir terno e gravata e ter um emprego. O que quer saber de verdade? Se me arrependo do que fiz?"
[Responsável pela condicional] "Está arrependido?"
[Red] "Não há um único dia em que não me arrependa. Não é porque estou aqui ou porque você acha que eu deveria. Ao recordar do passado, vejo um jovem, um rapaz idiota que cometeu um crime horrível. Tento falar com ele. Tento passar um pouco de juízo para ele. Ensinar como são as coisas. Mas não posso. Aquele garoto não existe mais. O que sobrou foi esse velho aqui. Tenho de conviver com isso. Regenerado? É uma palavra de merda. Então, filho, carimbe os seus formulários, porque não quero mais perder tempo. Pois para falar a verdade estou pouco ligando."

O título em inglês fala em “Redenção”. E, de fato, é uma redenção! Uma segunda chance para Andy. Para que ele possa fazer certo desta vez. A descoberta da vida por Ellis. É o velho “Red” Redding, aliás, que nos dá uma lição de amor pela vida. Apesar do discurso cru para o responsável pela condicional, quando em lliberdade, Ellis descobre que a vida é cheia de surpresas e, apesar de dizer que não está nem ligando, resolver se dar a chance de ser feliz.

Perdi a conta das inúmeras vezes que vi Um Sonho de Liberdade. Acontece que cada vez que vejo sinto uma sensação agradável. É um filme que faz bem, que não é piegas. São pessoas com a alma calejada, que vivem no limite do que é ser humano, mas que, mesmo assim, conseguem alcançar aquele traço tão encantador, que nos diferencia de outros seres vivos. Conseguem agir com amor, fidelidade e respeito. Conseguem ser solidários e gratos. Emergir melhor de um lugar pior é para poucos. Um Sonho de Liberdade fala de dois homens que conseguiram esse feito. 

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Myspace
  • Google Buzz
  • Reddit
  • Stumnleupon
  • Delicious
  • Digg
  • Technorati
Author:Renata Jamús
É uma apaixonada por cinema. Foi mestre em "discursos do Oscar" na infância. Teve três ou quatro muito bons, que eram constantemente lidos para os pais babões de plantão. Os mitos hollywodianos eram como amigos da rua. Habitavam sua casa, desde sempre. | COLEÇÃO DE FILMES | FACEBOOK | TWITTER